Esporte

Polícia identifica torcedores do Athletico acusados de gestos racistas

Torcedores do Athletico fazem gestos na Arena da Baixada (Foto: Reprodução de vídeo/Twitter/biimolina)
Polícia identifica torcedores do Athletico acusados de gestos racistas
Redação
OBemdito
21 de dezembro de 2021 21h14

A Delegacia Móvel de Atendimento ao Futebol e Eventos (Demafe), de Curitiba, informou nessa terça-feira (dia 21) que identificou dois torcedores acusados de gestos racistas na Arena da Baixada, durante o jogo com o Atlético-MG, em 15 de dezembro, pela final da Copa do Brasil. Os nomes não foram divulgados.

Os gestos dos dois aparecem em vídeo publicado pela jornalista Bianca Molina, da Rede Bandeirantes. “Futebol não tem nada a ver com racismo. Racismo NÃO É zoeira. Racismo NÃO é corneta. Racismo NÃO É mimimi. RACISMO É CRIME. Esses dois homens ficaram boa parte do 2°tempo imitando macacos e gesticulando de forma pejorativa para torcedores do Atlético-MG – provavelmente, negros”, escreveu Bianca, no Twitter.

A Demafe pretende indiciar os dois torcedores e aguarda a dupla para prestar depoimento. O GE informou que os dois são advogados e moram em Londrina.

No dia 16, logo após os incidentes na Arena, o Athletico Paranaense divulgou nota lamentando.

“O Athletico Paranaense tomou conhecimento, através de vídeos publicados nas redes sociais, sobre atos de racismo cometidos na partida de ontem (15), diante do Atlético-MG. Racismo é inaceitável e, mais do que isso, criminoso. O clube não medirá esforços para investigar os acontecimentos, identificar os responsáveis e repassar todas as informações às autoridades competentes. O apoio ao time antes, durante e depois do jogo de ontem (15) nos mostrou o verdadeiro significado do esporte. Os gestos de celebração, união e amor são a verdadeira alma do futebol. São eles que devem sempre prevalecer e servir como exemplo para a nossa sociedade”, publicou o clube.

(Reportagem: Bem Paraná)

Participe do nosso grupo no WhatsApp e receba as notícias do OBemdito em primeira mão.