Sicred
Instituto Nossa Senhora Aparecida
Redação Publisher do OBemdito

Delegada acredita que suspeito de matar PM no Paraná também tirou a vida da própria mãe

A sogra da PM Marcella Christiane Rosa também estava com um ferimento de tiro na região dorsal

Marcella Christiane Rosa, a policial militar vítima do ataque - Foto: Reprodução/Redes sociais
Marcella Christiane Rosa, a policial militar vítima do ataque - Foto: Reprodução/Redes sociais
Delegada acredita que suspeito de matar PM no Paraná também tirou a vida da própria mãe
Redação - OBemdito
Publicado em 25 de junho de 2024 às 15h44 - Modificado em 25 de junho de 2024 às 15h45
Atlanta Pneus
9 Espetaria
Porto Camargo
Cupom Local
Gastro Umuarama

A delegada responsável pela investigação sobre a policial militar morta a tiros nesta terça-feira (26), em Cândido de Abreu, revelou um novo detalhe sobre o caso. Segundo ela, há a suspeita de que o namorado tenha matado a própria mãe, pois ela também estava com um ferimento de tiro nas costas.

Kemelly Lugli, delegada responsável pelo caso, disse que a PCPR instaurou um inquérito após descobrir a nova informação. “Foi instaurado um inquérito para apurar a situação do caso e entender o relacionamento entre os envolvidos. ”, afirmou a delegada. Além disso, ela disse que irá ouvir o relato de testemunhas.

Em um primeiro momento, a sogra de Marcella Christiane Rosa não aparentava ter ferimentos, o que levou as equipes a crer que ela testemunhou a cena e sofreu um mal súbito. Entretanto, o exame de necropsia identificou um ferimento por arma de fogo na região dorsal.

O crime

A policial militar Marcella Christiane Rosa, de 35 anos, morreu vítima de disparos de arma de fogo nesta segunda-feira (24), em Cândido de Abreu, na região de Londrina, no Norte do Paraná. Além disso, o namorado e suspeito também tirou a própria vida após o ato e a mãe dele também estava morta próximo ao local.

Vizinhos ouviram os barulhos de disparos e acionaram a Polícia Militar. Os policiais foram ao local e encontraram o suspeito morto com um tiro na cabeça e a arma utilizada em sua mão. Ademais, a mãe do suposto atirador também faleceu próximo ao portão da residência.

Homenagens

Marcella Christiane Rosa atuava como enfermeira no Hospital da Polícia Militar do Paraná, em Ponta Grossa. Amigos e colegas prestaram homenagens à militar através das redes sociais.

“Neste momento de dor, encontro consolo nas lembranças que guardo de você e na certeza de que agora você está em paz, em um lugar onde a dor não mais existe. Seu sorriso, sua bondade e seu espírito alegre continuarão a viver em meu coração e nas minhas memórias. Descanse em paz, Marcella Chris. Você sempre será lembrada com muito amor e carinho”, publicou o soldado Gonçalves.

(Com informações RIC Mais)

Participe do nosso grupo no WhatsApp e receba as notícias do OBemdito em primeira mão.

Porto Camargo