Política

Empresário depõe no MP e confirma que vereador Ronaldo pediu propina

Informação foi obtida por ‘OBemdito’ com fonte próxima de Vitor Hugo, uma vez que investigação corre em segredo de justiça

O vereador Ronaldo Cruz Cardoso, na saída do MP, após ser ouvido pelo promotor de justiça: "Estou tranquilo"
Empresário depõe no MP e confirma que vereador Ronaldo pediu propina
Redação
OBemdito
25 de maio de 2022 19h38

O empresário Vitor Hugo Gaiari Rojas foi ouvido na manhã desta quarta-feira (25) na sede do Ministério Público, em Umuarama, na investigação sobre o suposto esquema de propina na Comissão de Justiça e Redação da Câmara.

O promotor Fábio Hideki Nakanishi não quis revelar o teor do depoimento, uma vez que a investigação corre em segredo de justiça. Uma fonte próxima do empresário, porém, disse a OBemdito que Vitor Hugo confirmou ter recebido pedido de vantagem indevida feito pelo vereador Ronaldo Cruz Cardoso, presidente da comissão no Legislativo municipal.

Vitor Hugo mudou-se de Umuarama logo após atender o promotor. A troca de cidade já estava sendo planejada. Ele foi para o litoral de Santa Catarina, onde seguirá atuando no ramo de engenharia civil, sua formação acadêmica. O sócio de Vitor Hugo, Guilherme Peixoto Soares, também participou da oitiva no MP.

O suposto esquema de corrupção envolvendo Ronaldo Cardoso foi exposto pelo vereador João Paulo Maciel de Oliveira, o Sorrisal, na sessão ordinária do último dia 9.

Sorrisal apresentou um áudio em que Vitor Hugo denuncia que Ronaldo pediu dois terrenos e R$ 30 mil para acelerar o trâmite de um projeto de lei na Câmara, cuja aprovação era necessária para a liberação de loteamento comercial do empresário. Após negociação, ficou acordado que Ronaldo receberia um terreno, avaliado em cerca de R$ 200 mil, e R$ 15 mil em dinheiro.

Ronaldo Cardoso também foi ouvido pelo promotor nesta terça-feira, na parte da tarde. O depoimento durou 40 minutos. O vereador conversou rapidamente com os jornalistas na saída do MP e disse estar tranquilo. “Esperamos que o Ministério Público, após a oitiva dos envolvidos, esclareça da melhor forma possível, o mais rápido, à população de Umuarama”, afirmou.

Fábio Nakanishi disse que, a princípio, estão sendo investigados os crimes de concussão, que é quando o titular de um cargo público utiliza a condição para exigir, para si ou para outra pessoa, algum tipo de vantagem indevida, e corrupção passiva, quando o funcionário público solicita ou recebe vantagem ou promessa de vantagem em troca de algum tipo de favor ou benefício particular.

Sorrisal faz nova revelação sobre Ronaldo

Sorrisal também depôs e na sequência atendeu a imprensa. “Eu falei a verdade, tudo o que nós já trouxemos à tona e algumas coisas que eu acrescentei, que eu não posso abrir aqui nesse momento. A sociedade vai ter a resposta que ela tanto espera”, disse.

A OBemdito, Sorrisal afirmou foi procurado por Ronaldo Cardoso para não dar publicidade ao áudio de Vitor Hugo, gravado sem o conhecimento do empresário. Cardoso teria oferecido apoio para Sorrisal assumir a presidência da Câmara, na próxima eleição para a mesa diretiva.

Os vereadores Ana Novais e Edinei do Esporte não puderam comparecer ao MP, por estarem em viagem. Assim como Sorrisal, os dois formularam a denúncia contra Ronaldo Cardoso ao promotor de justiça. O presidente da Câmara, Fernando Galmassi, também não prestou depoimento, mas justificou a ausência.

Pai Herói não foi e não apresentou justificativa

Bastante aguardado, o ex-diretor da Prefeitura, Valdecir Pascoal Mulato, o Pai Heroi, não foi ao MP e não apresentou justificativa. O promotor disse que vai intimá-lo mais uma vez e caso não haja comparecimento, pode solicitar a condução coercitiva.

Pai Heroi foi exonerado da pasta de Articulação e Mobilização da Comunidade assim que o nome dele surgiu nas denúncias. Em conversa com Vitor Hugo, gravada pelo próprio empresário, Pai Herói cita o presidente da Câmara, Fernando Galmassi.

“Tá tudo certo. Sabe o que tá acontecendo? O Fernando (Galmassi) tá achando que você tá dando alguma coisa para outro vereador. Aí fica travando. (…) Aí ontem ele tava lá falando merda, falou pro cara lá: ‘Acha que eu sou trouxa? Nego lá comendo bisteca, não dá nem um pedacinho pra mim”.

Participe do nosso grupo no WhatsApp e receba as notícias do OBemdito em primeira mão.

LEIA TAMBÉM