Instituto Nossa Senhora Aparecida
Umuarama 69 anos
Lançoni
Sicred
LEONARDO REVESSO Publisher do OBemdito

(VÍDEO) Filha do casal e irmã da advogada mortos no triplo homicídio fala a OBemdito: “Foi o Jean”

Eveline dos Santos Marra, que é juíza, disse se culpar por não ter agido antes para evitar a tragédia

Eveline dos Santos Marra: relação do Jean com a família era abusiva (FOTO: REPRODUÇÃO)
(VÍDEO) Filha do casal e irmã da advogada mortos no triplo homicídio fala a OBemdito: “Foi o Jean”
LEONARDO REVESSO - OBemdito
Publicado em 12 de agosto de 2022 às 13h34 - Modificado em 12 de agosto de 2022 às 18h45
Gastro Umuarama
Atlanta Pneus
Porto Camargo
9 Espetaria
Lançoni
Cupom Local

A filha do casal e irmã da advogada mortos no triplo homicídio de Umuarama disse não ter dúvidas de que foi o cunhado Jean Michel de Souza Barros, o autor dos crimes. Eveline dos Santos Marra, esteve na redação do OBemdito, onde concedeu uma entrevista de 35 minutos, que você assiste acima.

Logo no início, Eveline, que é juíza em Paranavaí, afirmou que estava preparada para responder a todas as perguntas. “Nesse um ano após os crimes, eu ganhei forças para falar e posso responder tudo o que você perguntar”, disse ela.

Os corpos do casal Antônio e Helena Marra e da filha deles, Jaqueline, foram encontrados na manhã de 9 de agosto de 2021, na casa onde moravam, na avenida São Paulo. Jean Michel foi preso na noite do mesmo dia acusado de ser o autor dos três assassinatos.

Eveline confirmou os ciúmes exagerados que a irmã sofria de Jean, que era extremamente possessivo. A herdeira também deu detalhes do medo que a mãe dela tinha do genro. Uma semana antes do crime, Antônio e Helena estiveram na casa da juíza. Ao se despedir, Helena colocou a mão na barriga da filha, que estava grávida de 8 meses, e pediu oração, porque sabia que algo grave estava por acontecer, “que Jean iria matar todo mundo”.

A juíza negou que o pai tivesse outra família e observou que foi Antônio quem colocou Jean para fora de casa. O suspeito também estaria desviando dinheiro da família, inclusive cometendo pequenos furtos de dinheiro dentro da residência.

A filha/irmã levantou a bandeira a contra o feminicídio e mandou um recado para as mulheres que sofrem abusos físicos e psicólogos dos maridos. “Não deixem a situação chegar ao ponto que chegou com minha irmã”. Eveline se ressente por não ter agido antes para evitar o pior, mesmo percebendo a atitude de Jean na relação com a família.

Ao final da entrevista, um monte de forte emoção. Eveline foi questionado se tinha algo a dizer para os pais e a irmã, caso estivessem vivos. Ela baixa a cabeça, mantém e silêncio e então responde, entre lágrimas.

A entrevista de Eveline acontece depois da fala dos advogados de Jean Michel, que refutam as provas apresentadas no inquérito pela autoridade policial. Laudos da perícia trouxeram a inexistência de sangue em alguns objetos apreendidos como provas materiais dos crimes. Os defensores sustentam que Jean é inocente e que o caso caminha para interesses materiais.

Também nesta sexta-feira, o delegado Gabriel Menezes, responsável pelo inquérito, falou aos jornalistas e foi taxativo. Ele disse não ter dúvida nenhuma de que foi Jean quem matou os sogros e a esposa. Menezes também revelou detalhes ainda desconhecidos pelo público. A entrevista completa com o delegado será publicada ainda hoje.

Participe do nosso grupo no WhatsApp e receba as notícias do OBemdito em primeira mão.

Uvel
Porto Camargo