Saúde

Umuarama registra 32 casos de sífilis neste ano e Saúde fará ações de prevenção

Foto: Assessoria PMU
Umuarama registra 32 casos de sífilis neste ano e Saúde fará ações de prevenção
Redação
OBemdito
20 de outubro de 2021 19h23

No dia 19 de outubro é comemorado o Dia Nacional de Combate à Sífilis, infecção que só em 2021 já atingiu ao menos 32 pessoas em Umuarama. E com o objetivo de levar informação à população é que o Ambulatório Municipal de Infectologia realiza, entre os dias 25 e 28, uma série de ações voltadas à prevenção desta doença.

Segundo o médico infectologista da Secretaria Municipal de Saúde de Umuarama, Ricardo Delfini Perci, a sífilis, também conhecida como lues, é causada pela bactéria Treponema pallidum.

“É curável e exclusiva do ser humano, tendo como principal via de transmissão o contato sexual, seguido pela transmissão para o feto durante o período de gestação de uma mãe com sífilis não tratada ou tratada inadequadamente. Também pode ser transmitida por sangue contaminado”, detalha.

No ano passado foram confirmados 52 casos da infecção na cidade e em 2019 foram 89. Os casos mais graves envolvem gestantes, pois a doença sexualmente transmissível (DST) pode ser passada ao feto em qualquer momento durante a gravidez, ou no parto. “Há altos riscos de sequelas no bebê como má-formação, deformidades ósseas, cegueira, surdez, problemas neurológicos, morte neonatal etc”, alerta.

Na segunda-feira (25), a psicóloga Lucinéia Ceolin fala sobre o tema em palestra especial do CAPS-AD (Centro de Referência em Assistência Psicossocial – Álcool e Drogas) das 9h às 10h. Os psicólogos Lucinéia Ceolin e Thiago Antonio Rossatto Casola se encontram com os usuários e profissionais da Apromo em dois momentos: na terça e na quinta-feira (26 e 28).

Eles também vão até o Centro Infantil Menino de Deus na quarta-feira (27), das 13h às 14h. Dr. Ricardo Perci será entrevistado no Programa da Thamires, da TV Caiuá, na terça-feira (26).

SOBRE A SÍFILIS

A sífilis é transmitida por meio das relações sexuais desprotegidas, sangue ou produtos sanguíneos (agulhas contaminadas ou transfusão com sangue não testado), da mãe para o filho em qualquer fase da gestação ou no momento do parto (sífilis congênita) e pela amamentação. Os sinais e sintomas da sífilis variam de acordo com o estágio da doença, mas geralmente apresentam ferida, geralmente única, no local de entrada da bactéria (pênis, vulva, vagina, colo uterino, ânus, boca, ou outros locais da pele), que aparece entre 10 a 90 dias após o contágio.

“Essa lesão é rica em bactérias, normalmente não dói, não coça, não arde e não tem pus, podendo estar acompanhada de ínguas (caroços dolorosos) na virilha”, detalha o infectologista.

O tratamento é feito com antibióticos e deve ser acompanhado com exames clínicos e laboratoriais para avaliar a evolução da doença e estendido aos parceiros sexuais. “A sífilis é uma infecção curável, com tratamento relativamente simples, mas pegar uma vez não promove imunidade. A prevenção é fundamental e se dá com o uso de preservativos (tanto femininos como masculinos) durante todas as relações sexuais”, finaliza Dr. Ricardo Perci.

(Assessoria PMU)

Participe do nosso grupo no WhatsApp e receba as notícias do OBemdito em primeira mão.

LEIA TAMBÉM