Paraná

Mais 25,4 quilômetros de pavimentação da Estrada da Boiadeira estão concluídos

O governador Ratinho Junior esteve em Umuarama nesta sexta-feira para entregar o trecho pronto

Foto: AEN
Mais 25,4 quilômetros de pavimentação da Estrada da Boiadeira estão concluídos
Agência Estadual
OBemdito
1 de julho de 2022 19h54

O governador Carlos Massa Ratinho Junior entregou nesta sexta-feira (1°) um novo trecho da obra de revitalização da Estrada da Boiadeira (BR-487), no Noroeste do Paraná. Foram finalizados o asfaltamento e a sinalização viária de 25,4 quilômetros entre Icaraíma e Umuarama, passando pelo distrito de Santa Eliza.

Com isso, 40,42 quilômetros de pavimentação da rodovia que liga o Mato Grosso do Sul ao Paraná estão concluídos (86,14%), faltando apenas 6,5 quilômetros. A previsão é que o antigo sonho da população da região seja completamente finalizado no segundo semestre deste ano.

“A consolidação do projeto da Boiadeira cria uma nova rota econômica no Paraná, que vai impulsionar demais toda a região Noroeste, uma região que por muitos anos ficou esquecida. O escoamento da safra ganhará agilidade e diminuirá custos, fazendo com que os produtores sejam beneficiados”, destacou o governador.

“Esse é mais um exemplo de obra estruturante estamos tirando do papel. Uma estrada que só existia o traçado e por isso era marcada no mapa. Virou prioridade agora e será transformada em uma grande artéria do Noroeste, ligando o Mato Grosso do Sul até Umuarama, facilitando a conexão com cidades como Campo Mourão e Maringá”, completou.

São 46,91 quilômetros de implantação de asfalto no total, com início na divisa do Paraná com o Mato Grosso do Sul, no distrito de Porto Camargo, em Icaraíma, até Umuarama. O pacote contempla ainda dois contornos (Santa Eliza e Icaraíma) e obras de arte especiais, com investimento total de R$ 223,8 milhões, fruto de um convênio do Governo do Estado com a Itaipu Binacional.

(Foto: Danilo Martins/OBemdito)

Estão em execução, neste momento, as obras de arte, como viadutos, pavimentação, terraplanagem e estruturação dos sistemas de drenagem.

O governador ressaltou que a restauração, implantação e pavimentação da Boiadeira é uma das intervenções mais emblemáticas em andamento no Paraná e que só saiu do papel graças à costura que resultou no convênio entre o Governo do Estado, por meio do Departamento de Estradas de Rodagem (DER/PR), o governo federal, via Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), e a Itaipu Binacional.

“Uma obra que é fruto do diálogo e da união política, que conta com a parceria da União via Itaipu e tem no Governo do Estado o agente executor. A conclusão da Boiadeira tem um poder transformador fantástico”, afirmou Ratinho Junior.

“Era um sonho dos nossos pioneiros, já que se fala da Boiadeira desde a década de 1960. Uma estrada moderna que vai impactar na economia e na segurança de toda a região Noroeste. E falando especificamente de Icaraíma, facilitar o acesso ao município, que se tornou um grande polo turístico do Paraná em razão das belezas naturais de Porto Camargo”, ressaltou o prefeito de Icaraíma e presidente da Associação dos Municípios da Região do Entre Rios (Amerios), Marcos Alex de Oliveira.

“Tiramos esse sonho antigo do papel, dando novo passo para transformar a infraestrutura logística do Paraná”, afirmou o secretário de Estado da Infraestrutura e Logística, Fernando Furiatti.

DIVISÃO POR LOTES

A Boiadeira foi dividida em três lotes e as obras atuais fazem parte do chamado Lote 1. O DNIT está encaminhando o chamamento da empresa que venceu a licitação do Lote 2, entre a Serra dos Dourados e Cruzeiro do Oeste. Serão 37 quilômetros de obras, passando pela localidade de Lovat e coexistindo com a PR-323.

“Uma obra emblemática, junto com a construção do Trevo Gauchão, para Umuarama. A cidade se desenvolve por meio dessa parceria tão importante com o Governo do Estado”, disse o prefeito de Umuarama, Hermes Pimentel.

Essas conexões alcançam o Lote 3, o primeiro a sair do papel, em 2013, entre Cruzeiro do Oeste e Campo Mourão. Há expectativa de encerrar a revitalização da Boiadeira nos próximos anos, com mais de 150 quilômetros apenas no Paraná. Essa será uma das principais ligações do Paraná com o Mato Grosso do Sul, os dois maiores produtores agrícolas do País.

“Tudo isso se reflete nos custos logísticos da produção. O ganho de eficiência no transporte representa uma transformação para a região”, reforçou Ratinho Junior.

PARCERIA

O projeto da Estrada da Boiadeira faz parte de um conjunto de obras financiadas pela margem brasileira de Itaipu e executadas pelo Governo do Estado, em um pacote que soma R$ 1,4 bilhão em investimentos. Há também a construção da Ponte da Integração Brasil-Paraguai, entre Foz do Iguaçu e Presidente Franco; a duplicação da BR-469, a Rodovia das Cataratas, e a ampliação da pista do Aeroporto Internacional do Iguaçu, também em Foz; o Contorno de Guaíra; a duplicação do Contorno Oeste e da BR-277, em Cascavel; a revitalização da Ponte Ayrton Senna, em Guaíra; a implementação de iluminação viária em trechos da BR-277, na região Oeste; e a ligação entre Ramilândia e Santa Helena.

PRESENÇAS

Participaram do evento o chefe de gabinete da Governadoria, Darlan Scalco; o diretor-geral da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas, Lucio Tasso; o deputado federal Sandro Alex; os deputados estaduais Márcio Nunes e Marcel Micheletto (líder do Governo); o diretor de coordenação da Itaipu Binacional, Luiz Felipe Carbonell; o presidente da Câmara de Vereadores de Umuarama, Fernando Galmassi; além de lideranças políticas da região.

Participe do nosso grupo no WhatsApp e receba as notícias do OBemdito em primeira mão.