Saúde

Superação: “O câncer não veio para me derrubar, mas sim me levantar”

Flavia Regina Henrique Bazani, 42 anos, enfrentou a luta contra o câncer de mama | Foto: Uopeccan
Superação: “O câncer não veio para me derrubar, mas sim me levantar”
Jaqueline Mocelin
OBemdito
11 de outubro de 2021 19h00

Carisma, perseverança e fé. É assim que Flavia Regina Henrique Bazani, 42 anos, enfrentou a luta contra o câncer de mama. No ano passado, foi através de exame de rotina que ela descobriu que algo não estava normal com o seu corpo.

“Eu sempre tive o hábito durante o banho fazer o autoexame, quando passei a mão no meu seio, senti um caroço, mas ele não doía. Foi então, que eu resolvi fazer o exame de mamografia, em setembro de 2020, que constatou o câncer de mama”.

De acordo com o mastologista Emerson Wander Silva Soares, a fase inicial do câncer de mama é assintomática, ou seja, não apresenta sinais e sintomas, desta forma é preciso que as mulheres fiquem atentas com aparecimento de nódulos e alterações.

“A mamografia auxilia na detecção da doença, diminuindo até em 30% da mortalidade desse tipo de câncer. É recomendável, que a mulher realize o exame a partir dos 40 anos, para garantir um diagnóstico precoce e um tratamento com mais chances de cura”, ressaltou.

Flavia mora em Foz do Iguaçu, e ficava durante a semana hospedada na Casa de Apoio para realizar o tratamento na Uopeccan de Cascavel, longe do filho e do esposo. Além da busca da cura do câncer, ela lutava por seus sonhos em se tornar médica, estudando no Paraguai. Entre sessões de quimioterapias, radioterapia, família e faculdade, Flávia jamais desistiu de alcançar os seus objetivos.

“Eu tentava levar uma vida normal, para eu não me sentir uma pessoa doente. O apoio dos meus familiares, amigos, professores e colegas foi muito importante nesse período”, declarou.

Espalhando o bem

“Receber o diagnóstico de câncer não é fácil, eu nunca falo meu câncer, e sim, o câncer que fui diagnosticada. Eu não queria contar para ninguém, só meu marido sabia”, destacou Flávia. A partir desse momento ela decidiu fazer um canal no Youtube para contar sobre a doença e fortalecer outras mulheres.

“Eu não achei que eu iria alcançar tantas pessoas, não queria que ninguém tivesse pena de mim, mas ao contrário me fortaleci ainda mais. Através desse processo compreendi que o câncer não veio para me derrubar, mas para me levantar”, finalizou.

PREVENÇÃO

Durante todo o ano, as mulheres acima de 40 anos podem agendar exames de mamografia pelo SUS, diretamente no CDI (Centro de Diagnóstico por Imagem) do Hospital Uopeccan. Os telefones para agendamento são (45) 2101-7015 em Cascavel e (44) 2031-0754 em Umuarama.

(Assessoria Uopeccan)

Participe do nosso grupo no WhatsApp e receba as notícias do OBemdito em primeira mão.

LEIA TAMBÉM