Lançoni
Instituto Nossa Senhora Aparecida
Sicred
Umuarama 69 anos
Redação Publisher do OBemdito

Iporã: Ossada de mulher que estava desaparecida há dois anos é encontrada em fossa

A Polícia Civil desvendou o crime e informou que o autor será indiciado por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver

Foto: Polícia Civil de Iporã
Foto: Polícia Civil de Iporã
Iporã: Ossada de mulher que estava desaparecida há dois anos é encontrada em fossa
Redação - OBemdito
Publicado em 11 de junho de 2024 às 15h14 - Modificado em 11 de junho de 2024 às 19h44
Lançoni
Cupom Local
Porto Camargo
Atlanta Pneus
Gastro Umuarama
9 Espetaria

A equipe da 15ª Delegacia Regional de Polícia (DRP) de Iporã desvendou nesta terça-feira (11) a autoria de um homicídio ocorrido em 2022 na cidade. O trabalho contou com a colaboração e participação dos setores de inteligência da Polícia Civil do Paraná (PCPR), Polícia Militar (PM) e Polícia Penal.

A vítima é uma mulher de 50 anos que estava desaparecida desde 29 de dezembro de 2022. Os investigadores da 15ª DRP realizaram diligências e no dia 30 de janeiro deste ano se deslocaram até um terreno na região central do município. Com o auxílio de uma retroescavadeira da Prefeitura foram escavados aproximadamente 8 metros na região da fossa deste local.

Com o avanço das escavações foram encontrados alguns ossos, entre eles um crânio que tinha características idênticas de ossada de um ser humano. Logo após foram localizadas vestes íntimas femininas na fossa.

O Instituto Médico-Legal (IML) foi acionado para realizar o recolhimento da ossada, que passou por perícia na Polícia Científica e indicou ser de uma mulher. Posteriormente, foi feito o confronto genético com o material fornecido pela descendente de uma vítima suspeita. Tornando-se positivo o confronto, conforme laudo antropológico da Polícia Científica acostado no caderno de investigação.

De acordo com o delegado de Iporã, Luã Mota, dessa forma as investigações da 15ª DRP se intensificaram. Após diligências, os policiais chegaram a provável autoria delitiva dessa crueldade.

“O suposto autor mantinha uma relação com a vítima e, depois de um desentendimento, matou a vítima, ocultou o seu cadáver e incendiou a residência em que morava, justamente para esconder o corpo de delito do crime. Ressalta-se que a residência incendiada é a mesma em que o corpo foi localizado, isto é, na fossa desse terreno”, explicou o delegado.

Luã Mota acrescentou que o investigado já se encontra preso preventivamente na penitenciária de Guaíra por ter cometido inúmeros furtos qualificados em Iporã. Ele terá um novo pedido de prisão preventiva representado pela autoridade policial e será indiciado por homicídio triplamente qualificado, por ocultação de cadáver e também por ter causado incêndio na residência em que morava.

O delegado ressaltou que a investigação que levou a elucidação do crime é fruto da colaboração entre as Forças de Segurança Pública do Estado do Paraná, entre elas as polícias Civil, Militar, Penal e Científica.

(Informações: Polícia Civil de Iporã)

Participe do nosso grupo no WhatsApp e receba as notícias do OBemdito em primeira mão.

Uvel
Porto Camargo