Foto: Reprodução/OBemdito

Paraná

Servidor da Saúde que também é vereador confirma transporte de pinga em carro oficial

Liomar Mendes Lisboa disse que estava fazendo favor a uma senhora que é benzedeira

Foto: Reprodução/OBemdito
Servidor da Saúde que também é vereador confirma transporte de pinga em carro oficial
Redação
OBemdito
2 de abril de 2024 18h33

O motorista que dirigia o veículo da Secretaria de Saúde de Francisco Alves, filmado em um supermercado de Umuarama com garrafas de pinga no porta-malas, disse a OBemdito que estava fazendo um favor para uma pessoa de sua cidade, ao transportar a bebida.

Liomar Mendes Lisboa, mais conhecido como ‘Cabelo’, afirmou que a prática é comum entre os motoristas da Prefeitura. Segundo ele, o produto não foi comprado no supermercado onde as imagens foram feitas, e sim em um depósito de Umuarama. “É normal que eu e outros motoristas façamos esse tipo de transporte. Aqui (Francisco Alves) a cidade é pequena e fazemos para ajudar as pessoas mais pobres e simples”.

Segundo Lisboa, as bebidas eram para uma senhora que é benzedeira. “Ela me pediu para eu levar para ela essa encomenda. Passei num depósito e comprei. No supermercado eu fui para comprar chocolates para outras pessoas”, detalhou.

Além de motorista da Saúde, Cabelo também é vereador por cinco mandatos e já ocupou a presidência da Câmara por duas vezes. Ele também foi prefeito interino do município. Questionado se por ser vereador não deveria fiscalizar para que situações como esta não ocorram, já que desviam da função do poder público, afirmou não ver problema algum na prática.

“Não vejo problema algum fazermos esse tipo de serviço para ajudar as pessoas. Agora, se é incorreto, a administração deveria proibir todos os motoristas de fazer esse tipo de favor às pessoas”, argumentou.

O assessor jurídico da prefeitura, Victor de Oliveira Botura, disse que o Executivo está “analisando o caso” para depois “tomar as providências necessárias”.

Conforme a legislação brasileira em vigor, a conduta de agente público que se utiliza de veículo pertencente ao ente público para atender interesse particular, sem qualquer atenção ao interesse público, constitui falta funcional grave e improbidade administrativa, tanto do funcionário público, quanto do chefe do Executivo. Favor a esta ou aquela pessoa pode ser entendido como ação de interesse particular.

Participe do nosso grupo no WhatsApp e receba as notícias do OBemdito em primeira mão.